Meninos

Meninos

Na deriva dos ventos

Perdida a terra e a mãe

No grande mar balançam

Em frágeis fingidos barcos

Novas faluas sem barqueiro

Só frio só medo só sede

Quem os resgata

Quem os ampara

Na noite dos fantasmas

Quem lhes chama filhos

Quem lhes dá um nome

Quem lhes abre o porto

Quem

Licínia Quitério