Cenoura, ovo ou café

café quadro m

A filha queixava-se ao pai acerca da sua vida e de como tudo lhe era tão difícil. Não sabia como fazer para seguir em frente e acreditava que acabaria por desistir, dando-se por vencida perante as dificuldades. Estava cansada de lutar. Parecia-lhe que sempre que solucionava um problema logo aparecia outro.

O seu pai, que era chef de cozinha, levou-a ao seu local de trabalho. Uma vez lá, encheu três tachos com água e colocou-os sobre lume forte. Dali a nada, a água fervia nos três tachos. Num deles, deitou cenouras, noutro ovos e, no último, grãos de café. Deixou que tudo fervesse sem dizer palavra. A filha esperou, impaciente, perguntando-se o que estaria o pai a fazer.

Dali a vinte minutos o pai desligou os discos do fogão. Retirou as cenouras e colocou-as num recipiente. Retirou os ovos e colocou-os noutro recipiente. Coou o café e deitou-o para um terceiro recipiente. Olhou para a filha e perguntou-lhe:

 — O que vês aqui?

Ela prontamente respondeu:

— Cenouras, ovos e café!

Pediu-lhe então que se aproximasse e tocasse nas cenouras. Ela assim fez, notando que estavam muito moles.

A seguir, pediu-lhe que pegasse num dos ovos e o partisse. Ela pegou no ovo e retirou-lhe a casca para encontrar no interior um ovo bastante duro.

Finalmente, pediu-lhe que provasse o café. Ela sorriu enquanto saboreava o rico aroma do café acabado de fazer.

Humildemente, a filha acabou por perguntar:

— Pai, o que significa tudo isto?

Então, ele explicou-lhe que os três ingredientes haviam sido submetidos à mesma adversidade, água a ferver, mas tinham reagido de formas distintas.

A cenoura chegou à água sendo forte e dura. No entanto, depois de passar pela água a ferver ficara débil, desfazendo-se com facilidade.

O ovo tinha chegado à água sendo frágil. A sua casca fina protegia o interior líquido. Mas, depois de estar em água a ferver, o seu interior tinha endurecido.

Em contrapartida, os grãos de café eram únicos na sua reação. Depois de entrarem na água a ferver tinham mudado a água.

— E tu qual destes ingredientes és? — perguntou-lhe o pai? — Quando a adversidade bate à tua porta como reages? És uma cenoura, um ovo ou um grão de café?

E eu pergunto-te a ti? O que fazes perante a adversidade? És como a cenoura que parece forte, mas quando é tocada pela adversidade e pela dor descobre que essa fortaleza é só aparente?

Atuas como o ovo, que começa com um coração maleável, possui um espírito fluido, mas depois de enfrentar uma morte, uma separação, um divórcio ou um despedimento se torna duro e rígido?

Ou és como o café? O café altera a água a ferver, o elemento que causa dor. Quando a água atinge o ponto de ebulição, o café alcança o seu melhor sabor.

Como manejas a adversidade? Como uma cenoura, um ovo ou um grão de café?

 Anónimo
(Tradução e adaptação)

Cenoura, ovo ou café: descarregar pdf