Horizonte

Só ausentando estás presente.

Nos passos perdidos encontrarás
as cerejas prometidas.

Negando-te afirmarás. Mil
palavras navegarão na humidade
da terra.

Esquecendo-te abrirás a prisão
em que te enclausuraste. Mil
luzes iluminarão a frescura
de seres a ilusão e a realidade.

A soma não interessa, apenas a subtração.

Subtraindo-te aumentarás a fundura
do celeiro. Inabalável se tornará
a fome da vida que te cerca
como as flores de um impossessivo jardim.

Não demores. A régua exata da lisura
mede os passos da caminhada.

João Guerra
Chuva de Rosas
(excertos)

http://poemasanonimos.wordpress.com/

Advertisements