SIM ou NÃO? – Como é que me sinto?

Anterior:

SIM ou NÃO?

Como é que me sinto?

SIM

  • Quando me agarro ao papá, a minha barriga sente-se bem, como se estivesse cheia de pudim de baunilha. (Estêvão)

  • Quando a avó me abraça, tenho a impressão de estar numa nuvem macia. Ela cheira a sabonete de rosas e a bolos acabados de fazer. (Sílvia)

  • Quando vou com o papá ao futebol e a nossa equipa marca um golo, o papá pega em mim e aperta-me com força contra ele. Eu dou guinchos de alegria e sinto-me forte como um leão. (David)

  • Às vezes, a mamã dá-me beijinhos no pescoço e faz-me coceguinhas na pele. É como se mil joaninhas estivessem a caminhar sobre as minhas costas. (Jeremias)

  • O avô cheira a cachimbo e costuma andar com um casaco grosso de lã áspera. Quando pega em mim, tenho a impressão de que nada me pode acontecer. (Regina)

  • Quando a tia Bia me faz festas na cara é como se uma borboleta me tocasse. A mão dela é muito fresca, lisa e macia. (Leonor)

  • Eu e a minha amiga temos um segredo só nosso que não contamos a ninguém. De cada vez que penso nisso, até sinto arrepios. (Lia)

NÃO

  • Os beijos lambuzados da tia Olga são desagradáveis. Parecem um caracol a subir-me pela cara. No fim tenho de limpar sempre o baton. Brr! (Niki)

  • Às vezes, quando o papá me abraça, levanta-me como um bebé. Já não tenho idade para isso. (Bernardo)

  • Quando o tio Manuel vem visitar-nos, aperta-me tanto que me magoa. Eu não gosto. (Estela)

  • O irmão mais velho da minha amiga é muito fixe mas quando ninguém está a ver, tenta beijar-me. Mete-me medo. (Mafalda)

  • Quando a avó me dá um abraço, primeiro é bom, mas ela depois não para. Deixo de conseguir respirar e começo a mexer-me todo. Só quero fugir. (Paulo)

  • O Tó, do 6º ano, convenceu-me a ir com ele ao supermercado roubar. Eu não queria nada. O Tó diz que é um segredo nosso e que, se eu o contar, vai acontecer-me alguma coisa má! Até fico enjoado quando penso nisso. (Ludgero)

 

Quando alguma coisa faz com que te sintas mal, tens sempre o direito de dizer NÃO! Mesmo que os outros possam sentir-se ofendidos.

Alguém que goste de ti vai aceitar o teu NÃO e não vai forçar-te. E até podes explicar a razão do teu NÃO!

Segue:

 

Dagnar Geisler
Das bin ich von Kopf bis Fuß
Bindlach, Loewe Verlag, 2005
(excertos traduzidos e adaptados)

Anúncios