Nunca acompanhes um desconhecido!

Nunca acompanhes um desconhecido!

Lisa tem seis anos e já vai à escola. O Pedro é o melhor amigo de Lisa e os dois costumam brincar muitas vezes juntos.

Lisa toma todos os dias o pequeno-almoço com os pais. Um dia, o pai leu no jornal que uma criança tinha sido raptada. Diz-lhe então:

— Nunca acompanhes alguém que não conheças! Não abras a porta quando estiveres sozinha! Nunca entres para o carro de um desconhecido! Nem todos os adultos são bons para as crianças. Também há pessoas que tentam atrair meninos e meninas com doces e prendas. Depois agarram-nos, possivelmente tiram-lhes a roupa e magoam-nos muito.

Lisa presta muita atenção.

Um dia, ao regressar da escola, pára um carro ao lado dela. O condutor, muito simpático, diz-lhe:

— Olha, tenho uma coisa para ti. Queres vir comigo?

Mas Lisa não entra no carro.

Nunca acompanho nenhum desconhecido.

Uma vez, a mãe de Lisa foi às compras. Lisa prefere ficar a brincar com o comboio e com o ursinho, por isso fica sozinha em casa. Pouco depois da mãe sair, tocam de repente à porta. Lisa pensa:

A mamã tem chave.

E não abre a porta.

Não abro a porta quando a mãe não está em casa.

Uma vez, Pedro e Lisa estavam a construiu um grande castelo na caixa de areia. Um homem vem sentar-se à beira e fica a olhar para eles durante muito tempo. As crianças já o tinham visto. Ele costuma ajudá-los a fazer coisas na areia e fala-lhes dos seus coelhos fofinhos.

— Se vierem comigo, dou-vos um!

Pedro prefere o gato que tem em casa mas há muito que Lisa queria ter um coelhinho…

E Lisa vai com ele.

O homem agarra Lisa com força pela mão. Ela tem de correr porque o homem caminha a passos largos. Já não parece ser nada simpático. Passado pouco tempo, chegam a casa dele.

— Onde é que tem os coelhinhos? — pergunta Lisa cheia de medo.

A porta da rua fecha-se atrás deles.

Não há coelhinhos nenhuns, ele mentiu.

Lisa está com um medo terrível e chora e grita pela mãe.

Mas ninguém a ouve.

O homem grande aproxima-se cada vez mais de Lisa e agarra-a com força.

Entretanto, Pedro continua na caixa de areia mas já não lhe apetece brincar. Corre a casa dos pais de Lisa e conta-lhes que ela foi com um homem. O pai chama imediatamente a polícia.

Ao fim de poucos minutos, ouvem o carro da polícia chegar.

Pedro consegue dizer exactamente aos agentes da polícia como é que o homem é, e que tem uma bicicleta enferrujada com uma buzina. E lembra-se da direcção em que o homem seguiu com Lisa.

Os polícias partem imediatamente com os pais e com Pedro. Já está a anoitecer. E juntos palmilham as ruas escuras. Os pais estão desesperados.

De repente, Pedro descobre a bicicleta velha com a buzina encostada contra a parede de uma casa. Os polícias entram na casa. Felizmente não demoram a encontrar Lisa, que está completamente transtornada.

Só quando a mãe pega nela ao colo é que se acalma. O homem é levado para o posto da polícia.

Pedro fica muito orgulhosos quando os pais de Lisa o elogiam e lhe agradecem por ter estado atento.

Depois, apressam-se a sair sem demora daquela casa sombria e levam Pedro a casa.

Nunca mais vou com alguém que não conheço!

Ursula Kirchberg
Geh nie mit einem Fremden mit
München, Ellermann, 1985
Tradução e adaptação

Anúncios