A geopolítica do caos e da fome – Fernando Nobre

Fernando Nobre
Gritos contra a indiferença
Lisboa, Temas e Debates, 2007
(excertos)

A geopolítica do caos e da fome*

[…] concordo com o senhor Ignacio Ramonet, director do Le Monde Diplomatique: «Estamos a caminho do caos.» Ou paramos já — para escutarmos e socorrermos os gritos de desespero de três quartos da população mundial, para olhar e ver os erros cometidos nomeadamente na defesa do Homem e do meio ambiente e para pensarmos no que realmente queremos fazer do nosso mundo — ou todo este frenesim descontrolado pode levar-nos ao caos global.

As revoluções tecnológica (tendencialmente desumanizante), económico-financeira (um verdadeiro jogo, como no «mercado dos futuros») e social (a crise global do poder/desemprego) em curso estão a levar ao domínio total do financeiro sem rosto sobre o político, o social, o ético e o moral com todas as suas terríveis consequências. Sem querer ser o velho do Restelo, grito: «Alerta! Cuidado!»

Com tanto miserável no nosso mundo, onde trezentas pessoas acumulam mais riqueza do que três biliões (50 por cento da população mundial), onde o fosso entre o Norte e o Sul nunca foi tão abissal, onde as disparidades sociais nos países ditos civilizados e desenvolvidos nunca foi tão grande, isso só pode rebentar. Quando? Não sei! Só sei que assim não vamos a parte nenhuma. É tempo de inverter a marcha funesta que nos tem conduzido. Por favor, é preciso bom senso.

* Editorial AMI Notícias, n.° 14, Dezembro de 1998.

Anúncios